N-eXpert

A fertilização é uma das operações de campo mais importantes na agricultura arável. A fertilização é uma atividade de custo relevante para o cultivo de culturas e é um risco ambiental. Para minimizar os riscos e custos ambientais e para otimizar o rendimento, a lucratividade e o uso de fertilizantes, a gestão específica de locais é um novo paradigma e conceito de agricultura que permite simultaneamente a lucratividade agrícola e a sustentabilidade ambiental ideais. As chances de práticas de manejo específicas do local são amplamente aceitas pela comunidade de fazendeiros e as pré-condições técnicas estão disponíveis no mercado. Mas, para ser praticamente capaz de adaptar a fertilização de precisão, os agricultores precisam conhecer o estado real dos nutrientes das terras cultiváveis ​​e dispor de um sistema que seja fácil de ser integrado em seus fluxos de trabalho e flexível para suas decisões ad hoc e espontâneas. mudança de condições meteorológicas e desvantagens da força de trabalho. O sistema deve ser confiável e econômico, permitindo documentar boas práticas agrícolas. Hoje, os agricultores ainda aplicam os nutrientes igualmente sobre campos inteiros, mas consideram principalmente as diferenças potenciais entre os campos. A otimização futura precisa considerar o padrão espacial das diferenças no estado nutricional e na demanda de nutrientes dentro de cada campo individual. Quando isso é permitido, a tecnologia de taxa variável (VRT) pode ser usada eficientemente para adaptar fertilizantes especificamente à demanda real das lavouras para obter uma ótima formação de rendimento e minimizar as perdas de nutrientes.

Com o nosso serviço especializado em gestão e fertilização da Nutrient (N-eXpert), apoiamos os nossos clientes com um procedimento dedicado de tomada de decisões sobre os regulamentos de fertilização recentes. Nosso serviço permite que os agricultores obtenham maior eficiência de nutrientes a menores riscos de produção e reduzam simultaneamente a poluição ambiental com nutrientes em águas subterrâneas, corpos d’água e atmosfera (emissões de N2O).